Intercâmbio Voluntário: uma experiência de impacto social internacional

20 de janeiro de 2022.

Enriquecimento pessoal e expansão de currículo: o intercâmbio voluntário é o caminho perfeito para o alcance de ambas as coisas. Principalmente após os efeitos – ainda latentes - da pandemia do Covid-19, alguns países estão vivendo em uma realidade social e financeira bastante precária, realidade esta que carece de um auxílio estrangeiro.

Esse auxílio estrangeiro pode vir através de um intercambista voluntário, alguém que por meio de um intercâmbio se voluntaria a ajudar e atuar em alguma causa social deste país de destino.

Na verdade, o voluntário não precisa se limitar a atuar em causas sociais em uma realidade mais carente, intercâmbios voluntários podem também se destinar a participar de algum projeto ou campanha social de alguém país mais desenvolvido, como por exemplo uma atividade de desenvolvimento sustentável que visa recolher resíduos plásticos de alguma praia em Cape Town.

Os projetos podem ser das mais diversas áreas: educação, saúde, cultura, animal, dentre outras, a escolha do destino vai depender dos interesses e habilidades do voluntário. Por isso é essencial que, a partir do momento da decisão de viajar com o objetivo de realizar trabalho voluntário, haja uma reflexão por parte do voluntário, a fim de se auto identificar e descobrir não só do que gosta, mas em que possui a capacidade intelectual de trabalhar.

Isto porque a assunção de responsabilidade pela atividade que irá prestar é de muita importância, principalmente se o país destino causar ao voluntário um choque de realidade maior em relação a que ele vive.

Importante ressaltar que o intercâmbio voluntário, ao contrário do que muitos pensam, não é gratuito: até porque não é coerente alguém oferecer ajuda a lugares ou projetos que não possuem condições de se manter e ainda ter as despesas pagas por este mesmo lugar.

Em contrapartida, são inúmeros os lugares ao redor do globo que proporcionam o intercâmbio voluntário e que também possuem paisagens únicas e paradisíacas, possibilitando, assim, ao voluntário conhecer lugares incríveis nas horas de lazer.

É uma troca rica em questões culturais, humanitárias e sociais, além de trazer benefícios a ambas as partes e possibilitar ao voluntario mensurar o impacto social que foi causado por seu trabalho.

• Viajar por conta própria ou optar por uma agência?

Acredito que para essa dúvida não tem muito segredo: se você quer se aventurar em um intercâmbio voluntário, já é voluntário aqui no Brasil, é conhecedor do básico que exige uma relação pública e já é acostumado a viajar para o exterior, viajar por conta própria não tem erro.

Entretanto, caso você não possua todas essas condições, optar por uma agência pode ser a maneira mais segura e confiável de você realizar o intercâmbio, inclusive porque algumas delas são capazes de proporcionar a experiência completa, inclusive te devolvendo dados e números do impacto social resultante.

Trouxe para este artigo algumas agências conhecidas pelo Brasil por organizar e realizar intercâmbios voluntários dos mais diversos jeitos.

• Exchange do Bem

“Não queremos criar um mundo novo, queremos tornar esse mundo um lugar melhor, mais justo e igualitário”, é através desse lema que a Exchange caminha fomentando o voluntariado ao redor do mundo.

Reconhecida por ser uma empresa social, a Exchange conta atualmente com vários projetos sociais que incluem trabalhos em hospitais, orfanatos e até mesmo viagens a praias paradisíacas para trabalhar pelo desenvolvimento sustentável.

Cada projeto conta com especificações sobre o preço, local, período, se deve ser realizado em grupo ou individualmente, se exige conhecimento técnico ou não e até sobre qual Objetivo do Desenvolvimento Sustentável da ONU o projeto de enquadra.

Quanto aos lugares, os projetos que constam abertos hoje na plataforma possuem como destino os mais distintos locais: desde Praia da Pipa, no Rio Grande do Norte, até Cape Town, na África do Sul, e demais países como Nepal, Quênia e Índia.

Uma particularidade muito relevante da Exchange é que a agência destina 10% do seu lucro a investimentos ligados a educação brasileira, além de auxiliar o voluntário em questões pontuais como vacinação e demais eventuais requisitos de entrada no país.

• AISEC

Autointitulada de “o maior movimento de liderança jovem do mundo”, a AISEC acredita que a juventude possui o poder de mudar e solucionar alguns dos principais problemas mundiais.

A organização conta hoje com três tipos de programas: o Voluntário Global, Professor Global e Talento Global. O primeiro é uma experiência de atuação em projetos vinculados aos ODS em ONGs, Fundações e Escolas de diversos países.

Já o programa Professor Global é a experiência internacional de atuação em escolas e instituições que pode perdurar por até 1 ano e meio, proporcionando ao jovem voluntário desenvolvimento profissional, network e a vivência em uma nova cultura.

Por fim, o Talento Global é um programa que possibilita ao voluntário ter uma experiência em um trabalho internacional em um ambiente corporativo e profissional.

Independentemente do programa escolhido, o voluntário sai da zona de conforto e encara sem barreiras toda a imensidão da diversidade cultural e social que é experimentada através do intercâmbio voluntário.

• Volunteer Vacations

“A maneira mais eficiente de preparar voluntários qualificados para atuarem em projetos sociais no mundo todo”, é assim que é caracterizada a Volunteer Vacations.

Além dos pacotes de intercâmbio voluntário, a VV, com o objetivo de formar pessoas para gerar um impacto capaz de mudar o mundo, oferece cursos de mentoria de educação social, abertura de ONG e até mesmo de planejamento de projeto social

Ainda, a VV proporciona ao próprio voluntário criar uma ação dentro da plataforma, oferecendo todo o suporte necessário e de logística, para ajudar em algum local ou em uma determinada causa social.

Aqui eu listei apenas algumas das dezenas de agências de intercâmbio voluntário que você pode encontrar para te auxiliar a realizar a sua viagem e sair da zona de conforto causando um verdadeiro impacto social.

Não importa a causa social, o ODS a ser alcançado ou destino da viagem, a simples troca, a ajuda humanitária e o impacto social resultante, sem dúvida, é a maior experiência dentro do intercâmbio voluntário.

Se você se interessou, mas ainda não se sente capacitado para se aventurar no estrangeiro como voluntário, uma boa sugestão é você começar a trilhar seu caminho em ONGs e projetos sociais existentes no Brasil.

Uma boa maneira de você aguçar suas habilidades e conhecimentos profissionais é se cadastrando na FreeHelper e atuando como voluntário profissional em alguma ação social.

Assim, mesmo que dentro daquilo que você é acostumado a fazer, você desenvolverá ainda mais o seu lado voluntário e humanitário, se tornando um profissional ainda mais qualificado, dando em troca apenas seu tempo e conhecimento.

Gostou? Cadastre-se aqui e fique ligado no seu e-mail porque as vagas serão anunciadas por lá! Nunca é tarde para começar a fazer a diferença!

Mariana Savaris

Editora Chefe do Blog da FreeHelper

Mariana Savaris atualmente trabalha no setor de Contratos e Societário no escritório Luciano Vernalha & Moro Advogados. Também é escritora e revisora de livros e artigos, atuando como Editora Chefe do Blog da FreeHelper.

               

Você já conhece a história da FreeHelper?

continue lendo

ONGs como atores fundamentais para o desenvolvimento econômico e social

continue lendo

Entre em contato conosco

Envie um e-mail para contato@freehelper.com.br

Cadastre-se