Dados interessantes sobre os 10 anos da Campanha Novembro Azul

18 de novembro de 2021.
Neste ano de 2021, o movimento Novembro Azul completa 10 anos de existência desde o lançamento da primeira Campanha. Seu objetivo é fornecer informação qualificada e em paralelo à medicina humanizada - acolhedora e empoderadora na busca por melhores resultados nos tratamentos contra o câncer de próstata.
O câncer de próstata é o tipo mais comum entre os homens, representando em média 29% dos diagnósticos da doença no país, com previsão de 11.180 novos casos ao ano no Brasil entre o período de 2020 e 2022 - de acordo com o Instituto Nacional de Câncer – Inca. Um ponto de atenção e alerta foca na predominância deste tipo de câncer nos homens negros – que possuem o dobro de chances de desenvolver a doença. A população masculina representa cerca de 49,2% da população brasileira, sendo que a cada 38 minutos um homem morre devido ao câncer de próstata.
Afinal, o que é a próstata?
A próstata é uma glândula presente no sistema reprodutor masculino que pesa cerca de 20 gramas, possuindo uma aparência similar a de uma castanha. A glândula está localizada logo abaixo da bexiga e, juntamente com as vesículas seminais, participam do processo de produção do esperma.
Na fase inicial não é comum a ocorrência de sintomas, mas quando o homem começa a apresentá-los, em 95% dos casos, o câncer já está em fase avançada, o que acaba por dificultar a cura. Entre os sintomas mais comuns podemos destacar: dor óssea, dores ao urinar, vontade frequente de urinar e presença de sangue e/ou sêmen na urina.
Alguns fatores de risco podem ser históricos familiares de ocorrência da doença, principalmente em parentes mais próximos, como um pai, irmão e tio, a obesidade e, como já citado anteriormente, a predisposição maior dos homens negros possuírem a doença.
Quanto à prevenção e tratamento, a melhor garantia para a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce, já que a ausência de sintomas na fase inicial se torna um grande inimigo. Assim, homens que possuam idade a partir de 45 anos e que possuam alguns dos fatores de riscos mencionados, ou que possuam mais de 50 anos de idade, mesmo sem tais fatores, devem ir ao urologista, médico especialista, e obter avaliação médica seguida de orientações sobre o exame de toque retal.
"Quando diagnosticado em fases iniciais, que em geral são assintomáticas, esse câncer pode ser curado. Já em fase adiantada, se torna problemático", enfatizou o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Antonio Carlos Lima Pompeo.
O exame de toque retal permite ao médico avaliar possíveis alterações na glândula, tais como endurecimento, presença de nódulos, podendo também solicitar a realização de exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes são diagnosticados somente por alterações percebidas no toque retal, reforçando a possibilidade de outros exames, como as biópsias (análise de fragmentos da próstata), ultrassom retal etc.
Questão cultural.
Ao contrário das mulheres - que desde crianças costumam fazer acompanhamento médico - os homens, em sua maioria, já não possuem este hábito, especialmente no que se trata de irem a consultas urológicas.
Guilherme Coaracy, urologista do Hospital de Base do Distrito Federal, destacou que parte desse problema é cultural. "Tem a ver com essa questão: as mulheres são orientadas a ter esse costume de cuidar da própria saúde, já os meninos não, e isso vai passando até a idade adulta". Tendo enraizado nesta falta de hábito, o preconceito: "Se os pais tiverem a prática de levar os meninos para se consultar desde pequenos, isso com certeza terá impacto lá na frente. Teremos uma geração com muito menos preconceito em relação a exames, como o de câncer de próstata."
Tanto essa como as demais campanhas de saúde possuem um papel estratégico e de grande importância: conscientizar, engajar e esclarecer sobre as principais doenças e agravos. Buscando a mobilização através da informação, dados estatísticos e sobre cuidados que resultam em uma maior atenção por parte do público impactado, uma pesquisa do LAL (Instituto Lado a Lado pela Vida) feita em 2019 mostrou que 24% dos homens passaram a ficar mais atentos após terem tido contato com a Campanha Novembro Azul.
A disseminação de informações com veracidade (qualificadas e validadas por profissionais da saúde) é uma grande aliada para o sucesso das Campanhas do Novembro Azul. Como frutos obtidos ao longo dos 10 anos de campanha, 77% dos homens brasileiros sabem que monitorar a saúde da próstata com exame de toque retal é a melhor forma de prevenção, apenas 4% dos participantes da pesquisa relatam temor quanto à dor durante o exame e apenas 2% possuem receio quanto ao resultado positivo.
Mesmo frente aos avanços diversos, é grande a necessidade e possibilidades de ainda mais progresso. 61% dos brasileiros que possuem idade acima de 45 anos nunca fizeram o exame - não por falta de informação, mas sim pela ausência de indicação médica, evidenciando assim a importância do trabalho em rede entre os diversos profissionais e todo ecossistema envolvido diretamente e indiretamente com o público-alvo.
Em comemoração aos 10 anos da Campanha Novembro Azul, a agência Almap/BBDO criou o slogan “Homem: Cuide do que é seu”, buscando uma comunicação objetiva e direcionada ao sexo masculino. Em 2021 a campanha vai buscar destacar também o fato de que em alguns momentos os homens terceirizam essa responsabilidade, já que algumas mulheres tomam para si esse zelo e cuidado que deveria ser do próprio homem.
A pandemia do Covid19 trouxe impacto considerável nos dados levantados pelo Ministério da Saúde, os quais revelaram que no ano de 2020 houve uma redução de 21,5% em relação a 2019 do número de cirurgias de retirada de próstatas. Já os exames de coleta de PSA e de biópsia da próstata, juntamente com o exame de toque retal, acumularam uma queda de 27% e 21%, respectivamente. Os dados de consultas urológicas no Sistema Único de Saúde, também seguiram um alarmante comportamento, com uma queda de 33,5% a menos, bem como também as internações de pacientes com o diagnóstico da doença, com redução de 15,7%.
Também precisamos demandar atenção aos nossos queridos animais de estimação: segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de próstata atinge cerca de 4% dos cães com idade superior a sete anos. Esse número eleva-se quando os animais não são castrados, podendo atingir um crescimento de 80% de risco. Mesmo com a baixa ocorrência, comparada aos homens, ele possui entre os cães ocorrências com maior gravidade e alta mortalidade. A castração destaca-se como principal método preventivo atrelada a avaliações semestrais junto aos veterinários.
As medidas de controle e mapeamento do comportamento das ocorrências são analisadas por meio de dados estatísticos, os quais medem a incidência e a mortalidade de cada diagnóstico. A análise de cenários ao longo do tempo são elementos que norteiam as ações de Vigilância do Câncer - planejamento eficiente e efetivo para campanhas, prevenção e controle de câncer no Brasil, números provenientes principalmente dos Registros de Câncer e do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM/MS).
Vejamos abaixo uma tabela com a incidência estimada conforme a localização primária do tumor e sexo em homens, no Brasil em 2020.
Você sabia?
 
* O paciente com câncer possui na legislação brasileira direitos especiais, tais como: auxílio-doença, tratamento domiciliar e saques no FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). Existe também a possibilidade de aposentadoria por invalidez, desde que a incapacidade para o trabalho seja considerada definitiva. O acesso ao amparo social depende de alguns fatores e critérios de idade, renda ou deficiência (LOAS - Lei Orgânica de Assistência Social).
 
* Em 2014, ONGs Latino-americanas lançaram o Movimento Latino-americano Contra o Câncer de Próstata (MOLAP), cuja missão é apoiar diversas necessidades de informação e apoio aos pacientes e seus cuidadores, disponibilizar ferramentas de interatividade, apoiar eventos e redes solidárias de apoio.
A plataforma foi desenvolvida em conjunto com diversos profissionais que se uniram para que o câncer de próstata seja considerado prioridade na agenda pública dos países Latino-americanos. Algumas instituições que fazem parte do movimento são a: Asociación Mexicana de Lucha Contra el Cáncer (AMLCC), México; Instituto Oncoguia, Brasil; Fundación Simmon, Colombia; ANASOVI, Costa Rica; Esperantra, Perú e Liga Argentina de Lucha contra el Cáncer (LALCEC), Argentina.
Compartilhe esse conteúdo e debata com seus amigos e familiares. Realmente a conscientização e o conhecimento podem ser os maiores aliados tanto para a prevenção quanto para o tratamento de diversas doenças, não limitando ao câncer de próstata.
Juntos podemos evoluir consideravelmente nesta campanha do Novembro Azul! Fiquemos atentos e sejamos disseminadores do conhecimento e incentivo aos homens quanto à saúde, independente da idade, para que tomem para si o cuidado de sua saúde e principalmente a conscientização das novas gerações.

Vitor Diego Ramos

Gerente de Desenvolvimento de Negócios

Atua na iniciativa privada com implementação, desenvolvimento e gestão de operações de varejo e corporativa. Voluntário no Code Club Brasil no time de coordenação nacional e líder de um clube de programação. Voluntário no Brasil Cursinhos como Assessor de Dados, atuando com desenvolvimento de relatórios, análises de dados e projetos diversos em Data Science.

               

Direito Animal: uma nova visão sobre os animais não-humanos

11 de novembro de 2021.

continue lendo

Dia Internacional de Combate à violência contra as mulheres

04 de novembro de 2021.

continue lendo

Entre em contato conosco

Envie um e-mail para contato@freehelper.com.br

Cadastre-se