Covid-19: seus impactos no Terceiro Setor e como sair desta situação.

04 de junho de 2020
O Covid-19 mudou o rumo do mundo. Nos encontramos em uma situação única pela qual ninguém esperava e nos vimos na necessidade de implementar diversas medidas buscando conter o avanço do vírus. O Terceiro Setor presta serviços cruciais como assistência social, atendimentos à saúde, atividades de complementação escolar, entre outros diversos que são essenciais na vida de muitas pessoas. E em uma realidade em que todos estamos passando por dificuldades, temos cada vez mais claro a necessidade de apoiarmos uns aos outros em nossa sociedade como um todo. O combate ao Coronavírus só pode ser feito conosco agindo juntos, podemos ver a mobilização de diversos setores buscando o melhor para o coletivo.
São em momentos como esse que vemos nitidamente o papel tão importante que o Terceiro Setor desempenha, sendo de real ajuda àqueles que precisam. Com ONGs e redes de apoio se unindo e dando o melhor para arrecadar doações e, de uma forma verdadeiramente inspiradora, fazendo com que as pessoas tenham acesso ao que necessitam, podemos ver a grande ajuda com arrecadações e compra de comida, auxílio médico, itens de higiene e produtos de prevenção, além de trazer a informação para aqueles que não a conseguem facilmente. Seu trabalho está sendo mais do que nunca um divisor de águas que garante proteção para essas pessoas, o simples fato de informá-las sobre o que está acontecendo e orientá-las sobre a prevenção já faz uma grande diferença em suas vidas.
Apesar de todos os esforços do Governo para conseguir amparar a população, são as ONGS que conseguem efetivamente prestar um auxílio àqueles que necessitam. Além de serem responsáveis por re-direcionarem e coletarem as doações, podemos ver que no mundo todo a sociedade está se mobilizando para cooperar no combate ao vírus. A cada dia o número de doações vem crescendo, a ABCR, Associação Brasileira de Captadores de Recursos, estruturou com o Movimento por uma Cultura de Doação um monitoramento das doações realizadas para combater o Covid-19, contando apenas as doações realizadas em dinheiro, já ultrapassamos o marco de 5 bilhões de reais. Esse valor conta com doações de empresas, campanhas de doação, medidas de crowdfunding, indivíduos e famílias, administração pública, fundações, institutos, fundos filantrópicos e igrejas.
Mas as doações vão além de valores monetários, por mais incríveis que sejam os números que atingimos como sociedade, também temos diversas empresas produzindo máscaras, álcool em gel e produtos de higiene destinados à doação. Também há diversas ações de arrecadação de alimentos, produtos de higiene, roupas e demais produtos essenciais. Além disso, há o trabalho admirável de diversos profissionais de saúde que estão lutando bravamente enquanto, ainda, doam seu tempo livre para ajudar outros fora de seu local de trabalho. Tudo isso organizado pelo Terceiro Setor, o qual é incentivado dia após dia garantindo a saúde de milhares de pessoas.
Ação realizada pela Playing For Change - Instituto que utiliza o serviço oferecido pela FreeHelper
No entanto, apesar de todo o trabalho incrível que está sendo realizado, o Terceiro Setor também vem sofrendo impactos negativos. Com a principal medida sendo o distanciamento social, muitas ONGs precisaram interromper ou reduzir bastante as suas atividades por tempo indeterminado. Se encontrando em uma realidade em que têm as suas ações limitadas, também houve uma queda brusca na captação de recursos de diversas ONGs.
A grande quantidade de doações arrecadadas pelas organizações sociais foi em sua maioria mobilizada por ONGs de maior representatividade e com prévia estabilidade financeira. No entanto, o restante das ONGs luta dia após dia para conseguir se manter ativa, tendo muitas vezes uma grande instabilidade financeira mesmo em tempos onde não há enfrentamento de crise econômica. Essas organizações se mantêm pelo grande esforço e vontade de ajudar vindos das pessoas envolvidas, as quais se dedicam de forma incansável.
A maioria das organizações sociais consegue boa parte de suas arrecadações por meio de eventos beneficentes, os quais não estão sendo realizados em virtude da pandemia. No geral, assim como algumas empresas, elas se encontram em uma situação extremamente frágil. Segundo um estudo realizado pela Agência do Bem, o Coronavírus gerou uma queda acima de 50% em 67,1% das entidades, mantendo-se sem redução em apenas 15,6% delas. Havendo, também, cerca de 70% com suas atividades completamente interrompidas e 24,7% correndo risco do encerramento definitivo. Você pode conferir a pesquisa completa aqui: https://bit.ly/2yeZAR8.
Se você quer saber como fazer para a sua ONG sair dessa situação, existem algumas medidas que podem ser realizadas. São elas:
Controle financeiro
O primeiro passo que deve ser tomado é repassar todo o orçamento financeiro. Analisar quais são as despesas que podem ser suspensas no momento e tentar negociar prazos para a liquidação de dívidas com os fornecedores. Então, deve-se observar quais as despesas essenciais, separando as que não podem deixar de existir de forma alguma das quais podem ser adiadas. Readequar a realidade financeira da sua organização é indispensável, porém tudo deve ser feito com cautela e com muito estudo. Lembrando que um bom controle é peça chave para a boa saúde financeira.
Adaptação
Em uma situação como essa, o poder de se adaptar é muitas vezes o que define o bom desempenho de sua ONG. É necessário adaptar-se à nova realidade. Saiba quais processos e atividades podem ser modificados de forma a alinharem-se com o que estamos passando. Além disso, procure possíveis novas oportunidades, diversas empresas seguem esse caminho – exemplo disso são restaurantes fazendo-se valer do delivery. Você só precisa manter-se atento ao que está acontecendo para, então, perceber quais são novas necessidades.
Arrecadação e crowdfunding
Nesse momento é preciso buscar conseguir um número ainda maior de arrecadação monetária, para sustentar a ONG e também manter suas atividades ativas. Uma forma de viabilizar uma boa captação é o crowdfunding, uma espécie de “vaquinha online” em que diversos projetos conseguem ser financiados pelo coletivo. Essa é uma modalidade de investimento em que várias pessoas podem investir pequenas ou grandes quantias de dinheiro através da internet, com o objetivo de apoiar uma causa ou ideia. Você deve divulgar de forma extensiva, incentivando o máximo de pessoas a ajudar a causa, e buscar mostrar o seu projeto da melhor forma possível. Mostre o trabalho que sua ONG realiza, quais seus objetivos, o que já foi feito, quais as pessoas que vocês alcançaram e mais.
No crowdfunding há a opção das pessoas doarem sem nada em retorno ou você pode oferecer algo - muitas vezes são utensílios como calendários ou a oportunidade de participar das ações sociais realizadas. Essa é a hora de você usar a sua criatividade e pensar no que pode ser oferecido.
Parcerias
Esse é o momento em que parcerias e conexões são ainda mais valiosas, todos estão passando por dificuldades, mas podemos ajudar uns aos outros. Procure criar parcerias com outras organizações ou empresas, vendo formas de auxiliarem-se mutualmente. Pode ser ajuda com divulgação ou negociação de doações à sua causa, procure formas de evoluir com isso.
Insistência
Apesar de tudo, estamos vivendo em uma época difícil e não podemos ignorar a carga que isso traz e como afeta a todos nós. Porém, por mais complicado que seja, é essencial continuar insistindo e lutando pelo o que você acredita. Tempos difíceis vão e vêm, mas não podemos desistir facilmente. Isso vale para você e sua equipe, procure ao máximo manterem-se motivados.
O mais importante é não parar de lutar e não perder a esperança, temos que nos unir para manter nós e os outros de pé.
Se você não possui uma ONG mas quer ajudar as que estão no combate às crises impostas pelo COVID-19, conheça a FreeHelper! Uma startup social curitibana que atua em todo o Brasil conectando voluntários profissionais a ONGs dos mais diversos setores. E ela segue agora mais que nunca recrutando doadores de tempo e conhecimento, divulgando em suas redes sociais e banco de dados todas as demandas –profissionais e sociais/financeiras - de suas organizações parceiras para superar este momento.
Espero ter ajudado com estas dicas! Se pensar em mais alguma deixe nos comentários abaixo!

Leonardo Capel

Fundador da ONG A+ Educação

Fundador da ONG A+ Educação, organização que tem como missão dar voz, recursos e reconhecimento para os professores do mundo todo através de capacitações, financiamento de projetos e prêmios.

               

O futuro da criança depende dos cuidados no presente

06 de agosto

continue lendo

Do viés inconsciente ao racismo estrutural

30 de julho

continue lendo

Entre em contato conosco

Envie um e-mail para contato@freehelper.com.br

Cadastre-se