A importância das redes sociais para causas sociais: um papo sobre o Instagram

21 de outubro de 2021.

Antes de qualquer coisa, quero te fazer uma pergunta: hoje em dia, se você está à procura de um novo produto de beleza, ou de um modelo de tênis, onde você “joga” o nome do item para saber mais? Instagram ou Google?

Aposto que a maioria dos leitores busca em primeiro lugar no Instagram, para obter informações de pessoas que possuem e usam o produto. E, somente depois de terem informações sobre a experiência do produto, vão atrás de informações um pouco mais técnicas, como onde compar.

EU APOSTO e sabe por quê? Em uma pesquisa realizada no início deste ano pela empresa Opinion Box, - O Instagram no Brasil -, os dados de consumo do aplicativo são estratosféricos. Os dados apontam que 84% das pessoas entram no Instagram pelo menos uma vez por dia, sendo que metade destes usuários entra várias vezes por dia.

E, pasme: 11% das pessoas dizem que seu aplicativo do Instagram fica aberto o dia todo. É bastante tempo? Com certeza! Isso pode ser usado a favor das marcas? Com certeza também

E ali, em marcas, incluo logicamente o nosso mercado, o terceiro setor. Se te falaram sobre uma organização social que necessita de ajuda para arrecadação urgente de alimentos, onde você buscaria saber se de fato eles fazem distribuição de alimentos com fotos e vídeos destas ações acontecendo recente? BINGO!

O Instagram tem mais de 1 bilhão de usuários ativos e segue crescendo. Este canal deve estar no planejamento de Marketing das organizações, temos espaço demais para explorar, sempre de maneira estratégica, é claro. O uso do aplicativo é gratuito, de uma maneira geral, já que existe também a opção publicidade, mas é possível se manter no formato gratuito sem problema nenhum. Porém, será exigido um esforço extra e, por isso, seu uso precisa ser estratégico, entende?

Você já deve ter ouvido falar no tal do algoritmo, o mecanismo da plataforma que “decide” o que será entregue, quando e para quem. Isso, de maneira bem simplista, quer dizer que seu conteúdo será entregue para quem tem interesse por ele.

E, para que isso aconteça, o conteúdo precisa ser constante e de valor. Assim, haverá engajamento por parte da sua audiência e post para cumprir cronograma (tem que postar!).

Aqui está a primeira dica deste texto: fale sobre sua organização com constância e com qualidade. É importante pensar sobre o conteúdo com certo período de antecedência.

O uso da rede social vai te ajudar no fortalecimento da marca, na aproximação com seu público-alvo e a gerar e/ou aumentar conexão com possíveis doadores e simpatizantes da sua causa, além de mobilizar pessoas para ações emergenciais... Como costumo dizer, deixará sua instituição VIVA para aqueles que procurarem por ela.

Vamos parar mais um minuto? Pense aqui no seu objetivo de comunicação com o Instagram. Para quem e como você quer falar com essa pessoa? Quantas vezes você consegue, de fato, parar para pensar sobre o conteúdo a ser compartilhado? Encaixe na sua rotina para que seja viável sua execução. Lembre-se, um dos pontos chave para o Instagram é a constância.

Agora vamos explorar um pouco da plataforma em si.

O Instagram é um aplicativo de fotos e vídeos (cada vez mais vídeos), essencialmente, com espaço para inclusão de textos na legenda de cada post, hashtags e localização.

As informações se complementam desde a escolha do seu @, o seu nome dentro da rede social, que é o nome pelo qual as pessoas irão te procurar. Ou seja: ele PRECISA ser, de fato, o nome da organização, evitando ao máximo (sei que está cada vez mais difícil) o uso de palavras de difícil compreensão ou pontos e sinais como _ (“underline”).

Situação hipotética: você vai a um evento de networking, ambiente propício para se encontrar possíveis interessados com a sua causa. Entre uma conversa ou outra, um interessado te questiona:

“Como eu te procuro nas redes sociais para saber mais?”

Imagine se sua organização se chama “Lar Dos Meninos Do Céu” e o seu perfil no Instagram foi criado como @lardos.meninosss_doceuu. E aí? Para você falar tudo isso vai precisar soletrar cada letra, ponto e sinal.

Percebe que é possível perder a oportunidade por um @ não estratégico?

Como comentei acima, está sim bem complicado de se conseguir nomes de usuários ”perfeitos”, mas, mesmo assim, não escolha o primeiro que vier à cabeça: pense em qual será fácil de repassar a terceiros, mesmo que para isso precise utilizar-se de abreviações ou fazer pequenas alterações que não interfiram, em especial, na questão sonora do nome da instituição (trocar a letra “i” por “y”, por exemplo).

Depois do perfil, há o espaço da “bio” – como é chamada a biografia que ficará abaixo de seu nome em seu perfil do Instagram. Se pensarmos na sede física da organização, esta seria a fachada da casa. É ali onde temos o espaço para contar quem somos, o que fazemos, como nos encontrar e as possíveis formas de contato com a organização.

O fator complicador aqui é que esse espaço apenas possibilita que sejam escritos 150 caracteres, o que nos mostra que, mais uma vez, é preciso ser estratégico. Use os recursos que o próprio Instagram fornece como espaço específico para link e contato, e deixe a sua “bio” livre para contar um pouco sobre a organização.

Pensando sobre a constância.

Se meu texto te animar e você sair procurando pela internet dicas de redes sociais, em especial dicas para o uso do Instagram, talvez você encontre sites que irão te dizer que é PRECISO postar algo 5 vezes na semana e que é PRECISO aparecer nos stories etc. Mas, a dica que eu deixo é: a hora e o dia bom para postar é a hora e o dia que você PODE postar.

Criar uma rotina de 2 posts por semana, por exemplo, sendo possível pra você é o que realmente importa. Com o tempo, sua audiência também entrará no seu ritmo e vai esperar pelo seu conteúdo naquele dia.

Uma dica para ajudar com a constância é a criação de um calendário de postagens com certa antecedência. Para bolar o cronograma, pense em datas importantes para organização ou para a causa em que atua, com certeza, após esse filtro, já será possível pensar e desenvolver, pelo menos, uns dois posts.

Não vou mentir: o algoritmo vai perceber isso e talvez ele passe a entregar seus posts mais lentamente, mas aí você conquista, com o valor de suas postagens, um público-alvo.

Pensando sobre o conteúdo de valor.

Sim, minha principal dica é que você use o Instagram para tornar sua organização viva e ativa, para que as pessoas percebam que ali está acontecendo, de fato, um trabalho. Publique os bastidores, eventos e premiações que estão participando, isso gera conexão e transparência.

Mas, mesmo pensando na sua causa, não podemos nos esquecer que as pessoas estão no Instagram para diversão e consumo de conteúdos que lhes interessam. Ou seja: organizações sociais também precisam criar conteúdos de valor.

Falar sobre a importância do voluntariado com seus benefícios para a carreira, por exemplo, é uma pauta que pode interessar pessoas com interesse em causas sociais. Se sua organização tem como causa a educação, dê dicas de hábitos de estudos ou dicas para vestibular.

Certa vez, ouvi de uma profissional da área de marketing de uma grande empresa que tudo poderia ser pauta no terceiro setor, porque o princípio básico da “propaganda” é contar boas histórias, o que não falta dentro das organizações. Temos “insumo”, basta fazer aquela mistura boa com repertório e muita emoção.

O trabalho não é fácil, exige, sim, dedicação. Estamos falando de Comunicação e Marketing e isso exige estratégia, é preciso pensar sobre o que está sendo feito. E, claro revisitar sempre que necessário.

Separar uma boa foto, preparar um layout (um simples no Canvas, que seja), escrever um texto bacana e emocional podem levar uma tarde muitas veze, algo que o dia a dia da organização nem sempre permite. Porém sabemos que não dá mais para ficarmos de fora, sem sermos vistos.

Falei no meu primeiro texto aqui no blog que exemplos arrastam e dão a sensação de “eu também posso”. Então, coloque como uma tarefa que PRECISA ser realizada por alguém da organização (por exemplo, use o trabalho voluntário para o design - a Freehelper pode ajudar com isso) e mãos à obra.

Sua organização é presente nas redes sociais?

O que você tem feito?

O texto te inspirou a começar?

Conta para a gente!

Eid Neiva da Silva

Analista de Comunicação

Analista de Comunicação no Instituto Bom Aluno do Brasil e criadora do perfil no Instagram @marketingparacausas

               

Dados interessantes sobre os 10 anos da Campanha Novembro Azul

18 de novembro de 20

continue lendo

Direito Animal: uma nova visão sobre os animais não-humanos

11 de novembro de 2021.

continue lendo

Entre em contato conosco

Envie um e-mail para contato@freehelper.com.br

Cadastre-se